domingo, 15 de setembro de 2013

Itaú preencheria vazio deixado pela OGX no Ibovespa

Atualizado em 15/09/2013

O peso do Itaú passará de 4,5% a 8,9%, a maior alta entre todos os membros

O empresário Eike Batista
O empresário Eike Batista: as companhias cujas ações operam a menos de R$ 1, caso da OGX, serão excluídas do índice, anunciou a BM&FBovespa
Nova York e São Paulo - O peso do Itaú Unibanco Holding SA no Ibovespa está a caminho de dobrar a partir do ano que vem porque a BM&FBovespa SA está procurando expulsar a OGX Petróleo Gás Participações SA de Eike Batista do índice de referência do Brasil.
O peso do Itaú passará de 4,5 por cento a 8,9 por cento, a maior alta entre todos os membros, quando a bolsa começar a listar as ações baseando-se principalmente no valor de mercado em vez de basear-se no volume de operações, conforme estimativas do Banco Santander SA.
A proprietária de faculdades particulares Estácio Participações SA e a corretora de seguros Qualicorp SA também poderiam entrar no novo índice, afirmou a Citigroup Inc.
As companhias cujas ações operam a menos de R$ 1 (US$ 0,44) serão excluídas do índice, anunciou a BM&FBovespa em 11 de setembro. A OGX, cujas ações valiam US$ 0,38 as 10:58am em São Paulo, é o único dos 73 membros do índice abaixo desse nível.
Embora a petrolífera com sede no Rio de Janeiro seja a terceira menor companhia por valor de mercado no Ibovespa, ela possui o terceiro maior peso: suas ações representaram aproximadamente metade da queda de 13 por cento do índice neste ano quando o volume de operações chegou a níveis recorde.
“Como é atualmente, o Ibovespa é apenas um indicador do que acontece com Eike e diz pouco sobre a situação real do mercado acionário”, explica Fausto Gouveia, que ajuda a administrar aproximadamente R$ 440 milhões em ativos na Legan Administração de Recursos, com sede em São Paulo, em entrevista por telefone. “Com a nova metodologia, o Ibovespa provavelmente será menos volátil e mais útil”.
Avaliando Batista.

 
A OGX despencou 91 por cento neste ano, a maior queda no Ibovespa. O caixa da companhia caiu 72 por cento no segundo trimestre, para US$ 326 milhões, menos do que seus gastos trimestrais médios de capital do ano passado, segundo documentos regulatórios publicados no mês passado, levando o Deutsche Bank AG a advertir que a produtora poderia ficar sem fundos no final deste trimestre.
 
 


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário